Palácio Mental!

Existiu um poeta lírico grego, chamado de Simónides que graças a sua fama e eloquência, foi contratado pelo rei de Céos, a declamar sua poesia e obra em um banquete, para divertir e alegrar os convidados. Simónides então, durante o banquete realizado no palácio real, declamas suas poesias e tece elogios e honras ao rei de Céos. Em algumas versões dessa história, não ao rei, mas a um vencedor desportista, que Simónides havia sido contratado para homenagear e enobrecer suas virtudes atléticas. Mas Simónides, além do esperado, acrescenta elogios especiais a dois heróis mitológicos, Castor e Polux.http://penaespada.com.br/wp-includes/js/tinymce/plugins/wordpress/img/trans.gif Continue lendo…

Pega mas não se apega

A deusa da criatividade às vezes demora em dar o ar de sua graça para nós pobres mortais. Por ser uma mulher, ela é bem intempestiva. Há momentos que nós não podemos nem chegar perto e em outros, bem, ela está lá, cheia de amor e carinho para compartilhar com os simples mortais que somos…

Como toda deusa, ela é exigente, delicada e temperamental! Quando nós, mortais, a queremos, só de birra, ela não vem. Apenas para nos atormentar, nos torturar um pouco mais, para ficarmos plenamente necessitados dela. E é verdade, quando mais a queremos, mais ela se diverte em fugir e rir da nossa cara… Continue lendo…